Buscar

Retirada da TUSD/TUST da base de cálculo do ICMS na Energia Elétrica. A tese ainda está valendo?

Atualizado: 4 de dez. de 2021

Uma coisa que me perguntam muito é sobre a incidência das tarifas TUSD e TUST na base de cálculo do ICMS pago na fatura de conta de energia. Nos anos de 2016 e 2017 muitas ações foram ajuizadas e muitas pessoas deixaram de pagar um pouco menos de imposto em suas faturas.


Entretanto, a tese não era tão pacífica no Superior Tribunal de Justiça. Portanto, essa divergência foi definida como uma tese repetitiva* e todas as ações em curso no Brasil foram suspensas. Então, a principal pergunta que escuto é: ainda vale a pena ingressar com essa ação? E a resposta é o clichê da advocacia: "depende".


Se esse assunto interessa você, pensa em se inscrever na nossa newsletter. Você pode fazer isso no rodapé desta página. Vamos lá!


Não se sabe quando essa ação será julgada no STJ e muito dificilmente os magistrados concedem liminar antes de suspender. Então, é uma questão de paciência. As chances, por outro lado, parecem tender para o consumidor. Explico: existe uma turma no STJ a favor do consumidor e outra pró fazenda. Aparentemente, estamos 50/50, mas deve-se levar em conta OS PARECERES do Ministério Público.


A opinião do MP foi expedida nos três processos afetados pelo sistema de recursos repetitivos: um para uma pessoa física, outro para uma pequena empresa e outro para uma empresa do mercado livre de energia**. Em dois deles, o MP defende a opinião favorável a retirada do TUSD/TUST apenas para empresas que operam no mercado livre de energia elétrica e não para o mercado cativo - para esse resta apenas um parecer.


Assim, não se sabe qual vai ser o resultado do julgamento desse recurso e se aquelas pessoas que já entraram com processo vão ser beneficiadas; isso é uma possibilidade. De alguma forma, o contribuinte não tem nada a perder se esse tipo de processo estiver tramitando nos juizados especiais porque nesse tipo de procedimento, não tem condenação em custas/honorários para quem perde o processo em primeiro grau.


Por outro lado, se o Superior Tribunal de Justiça decidir favoravelmente aos contribuintes, aqueles que já tiverem ingressado com ação serão os primeiros a serem beneficiados. Portanto a minha opinião pessoal é de que a tese ainda vale pena para aqueles que tem paciência e consciência do risco, dado que essa decisão pode se arrastar por um bom tempo. Do contrário, é aguardar o desfecho.


*Tese repetitiva são processos que tem muita repercussão e muitos processos, então o STJ suspende todos os parecidos e escolhe alguns paradigmas para decidir por todos.


**Mercado livre de energia são os consumidores que utilizam mais uma quantidade exorbitante de energia e, por isso, tem a liberdade de escolher quem será o fornecedor (que pode ser, ou não, a concessionária.



Foto: Jornal do Commércio

20 visualizações0 comentário